quinta-feira, 10 de março de 2011

O A M O R


  



 O A M O R
Ladrona do destino da minha vida
Ri,desesperada de alivio.
O amor se rebelou dentro de mim
Me assustei com a revelaçao desconhecida
De querer um outro, em mim
Para mim,
comigo
                                        
        Olhei no espelho dos meus olhos
        ouvi lindas acusações.
        De Raiva tapei os ouvido e senti,
        o gosto da sua boca a escorrer pela minha face.
        Meu coração bombeu o medo
        Mas você, já estava coagulado em mim.



                 Minhas mãos tatearam o nada
                 você já estava dissolvido e
                espalhado pela imaterialidade do meu sentimento.
              
 Na minha boca silenciou-se a lingua
  que me dizia que eu era dona de mim.
   E Agora , que descobri a companhia do amor
   Estou só!
                                       
                                                         

                O amor me tirou a estabilidade
                 tornou me insubimissa,perdi o dominio!
                Me sinto fraca, corrompida por mim.
                                                                                      

     
Estou  Aflita!
        Roubada!
              Invadida e
                     molhada pela minha água que se condensa ao encontrar você.
                                                                                                                                                                
                                     
                                                                                       Jaciara Santos Nascimento

11 comentários:

  1. Jaciara Nascimento, futura escritora formada em Letras Vernáculas e Língua Estrangeira Moderna. *-*

    ResponderExcluir
  2. Nossa, muito profundo... Retrata bem o que se senti, como se sente, e como isso nos prende. O amor. De mãe para filho, de filho para mãe, de homem para mulher, é simplismente ele que nos move, que nos paralisa. O amor!

    ResponderExcluir
  3. Jaci estou extasiada com a profundidade de sentimentos que percebo nas tuas linhas, como deve ser gostoso se expressar com tanta emoção. Ah!o amor entranhado, desejado.Sucesso

    ResponderExcluir
  4. Orgulho de vc. Sentimento confuso e complexo, que em suas palavras se torna embriagador... ahh o amooor!

    ResponderExcluir
  5. Amiga é vc? kkkk
    Brincadeirinha...lindux!

    ResponderExcluir
  6. Jaci, estou aqui deliciando-me com essas palavras. E que palavras? De fato, cada um/a tem um segredo para descrever o amor. Gostei da sua forma.
    Ácida
    Quente
    Fulgurante
    Aquele amor que sentimos na pele, que sentimos pele.
    Pra sua primeira, vc está no caminho certo. Continue assim. A primeira a gente nunca esquece.
    Seu blog está abalante. Mas na boa, to achando que falta um 'q' de mulher. Cadê seu encanto nele? Seu glamour, seu brilho. Acho que ta faltando um amarelão aqui. Foi mal ai, mais tem um ser dourado dentro de mim que gosta de cores, e pelo que já vi, vc tbm tem. heheheheh
    Bjos Preta

    ResponderExcluir
  7. O amor é difuso confuso estruso preciso e "imaterial" onde se dar mais sempre; o receber me parece em marolas de ventos moderados, enquanto damos somos a tsunami. Se sentir amado em todo nosso âmago depende da segurança, e no amor nada é seguro. Muitos descobrem o amor quando ele ja foi embora. Mas percebo que em suas palavras você encontrou o amor ou um dos amores que a vida desperta em nós. ESCREVER.
    Parabéns... vamos produzir que eu tenho sede de aprender...

    ResponderExcluir
  8. Bonito, profundo, poético!
    É difícil ler algo com tanta profundidade, principalmente quando se trata de discutir o AMOR. Esse construído, inventado, ou não, amor...Obrigado pelas bem colocadas palavras
    Certeza de que serei mais um visitante assíduo...

    ResponderExcluir
  9. Que lindo Jaci... Parabéns, você escreve muitíssimo bem... Bjuss

    ResponderExcluir
  10. esse poema seu pega fogo, viu moça!
    "Ejacoração"

    ResponderExcluir